quinta-feira, 31 de julho de 2014

Katy Perry - This Is How We Do

Saiu hoje o novo clipe da Katy Perry para a música This Is How We Do, o quinto single de seu quarto álbum de estúdio, Prism. Admito que eu não acho essa canção uma das melhores do CD, inclusive nem achava que ela poderia um dia virar single, porém a forma como o clipe foi trabalhado me fez mudar de ideia. É um dos clipes mais criativos da carreira da Katy, e o mais interessante é que ele mantém a pegada fofinha e bem-humorada, características de sua trajetória, mas deixa tudo com um ar mais cool, moderno e adulto. Adorei como ela trabalhou as referências a Chanel, Mariah Carey, Yves Saint Laurent (com os vestidos Mondrian) e Aretha Franklin, além de todo o arzinho 60's de muitas cenas do clipe. Me lembrou bastante também a última campanha da Kenzo, toda trabalhada no surrealismo. Mais um ponto para a Perry!



kenzo-fall-winter-2015
Kenzo Outono/Inverno 2015

Foto: Reprodução

terça-feira, 29 de julho de 2014

9 hábitos de pessoas mentalmente fortes que vão te ajudar a enfrentar qualquer dificuldade

9-hábitos-de-pessoas-mentalmente-fortes-que-vão-te-ajudar-a-enfrentar-qualquer-dificuldade

Essa lista foi originalmente publicada no The Huffington Post, escrita por Carolyn Gregoire e traduzida pelo Brasil Post. Força mental é um conceito psicológico difícil de definir, porque ele inclui vários aspectos, começando pela inteligência emocional e passando por fatores como obstinação, resiliência, autocontrole, resistência mental e consciência. Os indivíduos que possuem essas características mais fortes transformam obstáculos em fontes de crescimento e oportunidade. Já sabemos o que as pessoas mentalmente fortes não fazem, então o que elas fazem, de fato? Como elas consegue superar as adversidades do cotidiano? É isso que essa lista trás: nove hábitos essenciais e práticas desse grupo de pessoas que podem te ajudar a atravessar qualquer desafio ou dificuldade.

Elas veem as coisas objetivamente


Isso é o que é.

Existe uma máxima na antiga filosofia do estoicismo: “Não há mau nem bom, apenas a percepção”, que mais tarde foi ecoada num verso famoso de Shakespeare: “Não há nada bom ou nada mau, mas o pensamento o faz assim”.

A maneira como percebemos uma situação tem um poder tremendo de nos ajudar ou nos prejudicar. Muitas vezes reagimos emocionalmente e projetamos julgamentos negativos em uma situação, quando na realidade a chave para superar um obstáculo é ver as coisas objetivamente.

“Você pode ter o melhor plano do mundo, mas, se não vir a situação claramente, não adianta nada”, diz Ryan Holiday, autor de The Obstacle Is The Way (O obstáculo é o caminho, em tradução livre). Ele estudou inúmeros exemplos de indivíduos ao longo da história capazes de lidar com obstáculos que, para nós, parecem insuperáveis, desde ser falsamente acusado de um triplo homicídio a ser intensamente discriminado por motivos de raça ou sexo. Ele concluiu que a resistência mental depende de três coisas: percepção, ação e vontade.

“[A resistência mental depende de] algum tipo de estrutura filosófica que permita enxergar além das emoções ou das primeiras impressões causadas por determinada situação”, diz Holiday. “Então, os elementos disso são 1) sua percepção: você consegue enxergar as coisas claramente e com equilíbrio? 2) você tem soluções ou ações criativas? E, finalmente, que tipo de determinação ou vontade você tem para lidar com a situação?”

Elas não se acham “no direito”


Diminua suas expectativas, diminua suas expectativas...

Todos nós merecemos a felicidade, mas não merecemos uma vida livre de obstáculos ou adversidades. Agir como se esse fosse um direito – achar que devemos ter o que queremos a maior parte do tempo – dificulta a vida na hora de lidar com os desafios quando eles aparecem e nos pegam de surpresa. 

Esse é um obstáculo especialmente comum para a Geração Y, de acordo com o especialista Paul Harvey, professor-assistente de administração da Universidade de New Hampshire, que observou que a geração do milênio tem “expectativas irreais e uma forte resistência em aceitar comentários negativos”. “Vendeu-se para a Geração Y um certo jeito de pensar sobre o mundo”, concorda Holiday. “Antigamente, as pessoas recebiam uma estrutura que não era só mais humilde, mas que também entendia como o mundo poderia ser imprevisível e inexplicável.”

Pessoas mentalmente fortes reconhecem que seus planos de vida, e a vida em si, podem sair dos trilhos a qualquer momento – e elas não perdem tempo se considerando vítimas do destino quando as coisas não acontecem como elas gostariam.

Elas mantêm a calma


Você precisa se acalmar.

Resistência mental não significa estar feliz o tempo todo. Talvez seja mais razoável pensar em algo como “manter a calma o tempo todo”, diz Holiday. A estabilidade emocional e a capacidade de manter a cabeça fria é um bem importante na hora de lidar com situações desafiadoras. Felizmente, a estabilidade emocional tende a aumentar com a idade – e não é surpresa que fiquemos mais felizes como resultado disso.

Elas não aspiram à felicidade o tempo todo


Controle suas emoções!

Uma preocupação excessiva com a felicidade pode na verdade levar a uma atitude pouco saudável: emoções e experiências negativas. Pessoas mentalmente fortes não tentam evitar emoções negativas – em vez disso, elas aceitam as emoções positivas e negativas e permitem que os diferentes sentimentos coexistam, um componente-chave da resiliência.

“Nós damos tanto valor ao otimismo, à felicidade e a todos esses traços positivos, eles mesmos abstrações, que somos pegos de surpresa e não conseguimos lidar com seus opostos”, diz Holiday. “Se estivéssemos mais no meio do caminho as coisas seriam melhores. Tiraríamos vantagem do que acontece conosco porque haveria mais objetividade.”

O pesquisador australiano Hugh Mackay argumenta que nossa obsessão cultural com a felicidade pode ser perigosa e que, em vez de se preocupar em ser felizes, deveríamos na verdade nos preocupar em ser completos. “A ideia de que tudo o que fazemos é buscar a felicidade me parece realmente perigosa e tem levado a uma doença contemporânea na sociedade ocidental, que é o medo da tristeza”, escreve Mackay em The Good Life. “Deveríamos buscar a completude, e a tristeza é parte dela, assim como o são os desapontamentos, as frustrações e os fracassos; tudo o que nos faz ser o que somos. Felicidade, vitórias e conquistas são coisinhas boas que acontecem em nossas vidas, mas elas não nos ensinam muito.”


segunda-feira, 28 de julho de 2014

Look do dia: Keira veste Prada

Keira-Knightley-Prada

Mesmo obcecado com o estilo das francesas gosto bastante do estilo das inglesas, principalmente o de algumas personalidades, como a atriz Keira Knightley. Não sei exatamente o porquê, mas fiquei apaixonado por esse visual. É retrô e ao mesmo tempo super moderno, é feminino mas não é óbvio... Enfim, coisas que só um look total Prada fazem por você. Essa foto foi tirada mês passado, na coletiva de imprensa de seu filme mais recente Begin Again (Mesmo Se Nada Der Certo, no Brasil), que conta ainda com Mark Ruffalo e Adam Levine
.